Vampiras Lésbicas de Sodom

Comédia clássica do off-Broadway ganha montagem inédita brasileira.

Vampiras Lésbicas de Sodoma_4_Crédito Arthur Seixas_MENOR2“Vampiras Lésbicas de Sodoma” é a primeira adaptação brasileira de uma sátira cult e underground de sucesso escrita por Charles Busch que estreou em 1984 e se tornou uma das peças mais apresentadas na história do circuito off-Broadway o espetáculo está no Teatro Café Pequeno, no Leblon, em curtíssima temporada.

Esta comédia satírica é caracterizada por uma série de vinhetas sobre a vida de duas vampiras em eterna (e cômica) rivalidade – a monstruosa Súcubo (Marya Bravo) e a virgem-que-virou-vampira (Thiago Chagas). Após sobreviverem à queda da cidade bíblica de Sodoma, as duas se reencontram ao longo dos séculos: nos anos de 1920, como La Condessa e Madalaine Astarté, se mascarando de divas estrelas da Broadway e de Hollywood; e em Las Vegas nos anos de 1980, como as showgirls Magda Legerdemain e Madalaine Andrews, quando finalmente fazem as pazes. O espetáculo ainda conta com os talentos de Davi Guilhermme, Thadeu Matos, Thuany Parente,

Thiago Páschoa e André Vieira, que se dobram em diferentes personagens que cruzam a vida das duas – soldados de Sodoma que temem as vampiras, jovens estrelas da clássica Hollywood que as amam e invejam, caricatos caçadores de vampiros e bailarinos de coro de Las Vegas que as idolatram. Destaque para as piadas e trocadilhos com a cena carioca, que junto a uma inocente e inofensiva depravação em todos os personagens, resulta numa noite leve e hilária no teatro.

“Vampiras Lésbicas de Sodoma” foi o primeiro texto de Charles Busch, que ficou rapidamente reconhecido por sua habilidade de tecer cultura popular, humor, kitsch e sátira social mordaz em um teatro inesperado, contemporâneo e hilário. Com referências ao Teatro do Ridículo de Charles Ludlam (“O Mistério de Irma Vap”), diversas referências ao Pop e um estilo inteiramente Camp, Charles Busch é um mestre da comédia. Aclamado pelo seu trabalho, recebeu prêmios como o Outer Critic’s John Gassner Award e o Drama Desk Award. Esta é a primeira montagem brasileira de um texto de Charles Busch.

Na versão brasileira, o espetáculo foi adaptado para um musical, incluindo diversas canções traduzidas ao português do cabaré alemão da antiga República Weimar, incluindo os artistas Theobald Tiger, Marcellus Schiffer, Freidrich Hollander, Géza Herczeg, Mischa Spoliansky, Robert Klein, Bertolt Brecht e Kurt Wiell. Estreiando a direção de musicais, Jonas Klabin conta com o apoio da supervisão de Cesar Augusto e da direção musical de Davi Guilhermme.

O espetáculo é uma realização da Treco Produções e do Câmbio Residência Artística em coprodução com a Gávea Filmes.

SERVIÇO

Local: Teatro Café Pequeno, Av. Ataulfo de Paiva, 269 – Leblon
Telefone: (21) 2294.4480
Horário do espetáculo: quartas e quintas as 20h30

A casa abre uma hora antes do início do espetáculo
A bilheteria abre de quarta a domingo das 16:00 até as 20:30 Vendas online: http://www.compreingressos.com

Ingresso: R$30,00 o inteiro

Duração: 70 minutos
Classificação: não recomendado para menores de 18 anos
Capacidade: 80 lugares

Gênero: comédia-musical

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s